sábado, 12 de outubro de 2019

Compreenda a comunicação - comportamentos comunicativos

Há alguns anos, a Telefônica fez essa propaganda em homenagem ao dia das mães. Assista pela diversão e observe as formas de comunicação que o menino usa para tentar (sem muito sucesso 😅) dizer ao pai que está com fome e quer tomar sua mamadeira.


Esse pequeno vídeo tem muito a nos ensinar sobre comunicação e os recursos que alguém que não consegue falar lança mão para tentar comunicar sua mensagem. Se conseguisse falar, seria prontamente atendido.

Porém, na ausência da fala, a criança usou gestos, mostrou a barriga (para dizer que estava com fome ou queria comer), apontou para a vaca de pelúcia, a vaca decorativa na parede, o quadro com o copo de leite, a página de jornal em que havia uma foto de vacas pastando no campo e a chamada da reportagem em que a palavra "leite" estava escrita em letras grandes.  Depois de tentar de tantas formas sem ser compreendido, sucumbe e chora.

Mas, como um comunicador persistente, tenta mais uma vez, apontando para o sutiã.

Se prestarmos bem a atenção, há uma série de comportamentos nesse pequeno vídeo que nós também devemos atentar nas interações com pessoas que não oralizam e não conseguem usar a fala ou a escrita para se comunicar (ou não o fazem isso de modo muito eficiente com palavras faladas ou escritas), a saber:

- Movimentos corporais
- Sons e vocalizações
- Expressões faciais
- Contato visual
- Gestos
- Símbolos
Lembre-se que um símbolo tem um caráter representacional - a vaca representa leite e a palavra leite escrita também tem um caráter representacional.

Podemos compreender muito sobre os estados e as intenções de pessoas que não conseguem se comunicar muito bem por meio da fala se observarmos esses comportamentos.

E, quando esses comportamentos não forem convencionais, socialmente aceitos ou efetivos para favorecer a comunicação, nossa tarefa é ensinar o caminho para uma comunicação convencional, como quando usamos gestos e o olhar, bem como simbólica, ou seja, mediada por imagens e vocalizadores, como ocorre na Comunicação Aumentativa e Alternativa.

Comecemos por compreender as múltiplas formas de comunicação. Acredite nada é por acaso ou aleatório na comunicação. Presuma competência sempre!

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

Processo de implementação de CAA - Avaliação

Como iniciar e o que fazer


Uma das questões mais inquietantes para famílias e profissionais que implementam a CAA para mediar o desenvolvimento da comunicação e da linguagem é ter uma visão ampla sobre como iniciar e o que fazer. 

Ao pesquisar e propor uma pesquisa-ação sobre o tema na minha tese de doutorado*, organizei a estrutura fluxos que está no gráfico abaixo. Cada uma dessas etapas, leva a outros tantos desdobramentos, é claro! 





Comece pela avaliação


Quero destacar a importância da avaliação das habilidades iniciais de comunicação e linguagem. Essa avaliação inicial é importante para nortear quanto a objetivos a perseguir e, depois, quanto à definição de recursos e estratégias que possam levar à concretização de avanços que queremos.

No processo de avaliação de habilidades iniciais, gosto muito de uma ferramenta, a Matriz de Comunicação** [site disponível em inglês e espanhol: www.communicationmatrix.org]. 

A Matriz de Comunicação é uma ferramenta de avaliação gratuita para ajudar famílias e profissionais a entender facilmente como está a comunicação, refletir sobre o progresso e as necessidades exclusivas de qualquer pessoa que esteja nos estágios iniciais da comunicação ou empregando outras formas de comunicação que não sejam falar ou escrever.

A Matriz de Comunicação define:

- as quatro razões principais que nos motivam a nos comunicar

Quatro razões que nos motivam para a comunicação


Sem motivação não há aprendizagem. Por isso, compreender o que pode motivar uma pessoa a se comunicar é uma questão essencial para pensar promover e fazer avançar a comunicação.


REJEITAR 
Recusar o que não se quer
       Expressar incômodo
       Protestar
       Recusar ou negar algo

OBTER (obter o que se quer)
   Expressar satisfação
   Continuar uma ação
   Obter mais de algo
   Pedir mais ação
   Escolher
   Pedir um objeto novo
 Pedir objetos que estão fora do alcance
INTERAGIR SOCIALMENTE
    Expressar interesse por outros
    Chamar atenção
    Pedir atenção
    Mostrar afeto
    Saudar outras pessoas
    Oferecer ou compartilhar coisas
    Dirigir a atenção de alguém a algo
    Usar fórmulas sociais educadas
OBTER E TROCAR INFORMAÇÃO
 Responder a perguntas de “Sim” e “Não”
  Perguntar (“Quem?”, “Onde?”...)
  Nomear objetos e pessoas
  Fazer comentários


Crianças e pessoas com autismo, em geral, desenvolvem como mais facilidade habilidades referentes a "rejeitar" e "obter". E, os maiores desafios envolvem as habilidades para "interagir socialmente" e "obter e trocar informação". Porém, para um trabalho efetivo para o desenvolvimento da comunicação, não podemos deixar nenhuma dessas áreas de fora. 

A comunicação entre pessoas está largamente relacionada ao fortalecimento das interações sociais. Também, obter e trocar informações estão na base para a aprendizagem e desenvolvimento de uma gama diversa de conhecimento e outras habilidades. Não é verdade?

Aproveite para pensar também como é a sua interação com sua criança, estudante ou paciente. Dar o exemplo é essencial!

* Para acessar o texto completo, siga esse link: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/152752

** A Matriz de Comunicação foi publicada pela primeira vez em 1990, revisada em 1996 e em 2004 pela terapeuta de fala e linguagem Dra. Charity Rowland da Universidade de Ciências da Saúde de Oregon nos EUA.

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

CAA e os sistemas simbólicos

Anteriormente, expliquei um pouco sobre a importância dos símbolos no desenvolvimento da comunicação e da linguagem - confira aqui.

Também comentei sobre o portal ARASAAC onde é possível obter símbolos gratuitamente.

Relembrando:

  • A Comunicação Aumentativa e Alternativa envolve o uso integrado de símbolos, recursos, técnicas e estratégias.

  • Língua e linguagem se estruturam por meio de símbolos. Então, uma imagem pode funcionar como símbolo e, por isso, os pictogramas são muito utilizados na CAA. 
Além do ARASAAC, que já escrevi a respeito, há outros sistemas simbólicos como podemos ver na imagem abaixo.


Fonte: Página da ISAAC Brasil no Facebook - homenagem ao Dia das Mães
https://www.facebook.com/isaacbrasil.ca


SCLERA 

É um sistema simbólico oferecido gratuitamente. É particularmente interessante para quem tem algum nível de deficiência visual. As imagens com contraste favorecem pessoas com baixa visão. Encontre outros símbolos gratuitamente na página oficial do projeto: www.sclera.be ou em aplicativos como o Picto4Me, disponível em português em https://www.picto4.me/site .

PCS

PCS é a sigla para Picture Communication System, em português, sistema de comunicação por figuras. Pertence hoje à empresa Tobii Dynavox [https://goboardmaker.com/pages/picture-communication-symbols]. PCS é o pacote de símbolos utilizado em várias aplicações de CAA, como o Boardmaker, o Communicator e o Snap+Core.

WIDGIT

Widgit é um sistema simbólico muito usado na Europa. A empresa tem base no Reino Unido. Anteriormente, esse pacote de símbolos era conhecido como Widgit Rebus. A empresa mantém um site para usuários de símbolos onde materiais são disponibilizados de forma gratuita (mas, em inglês apenas). Confira em  https://symbolworld.org

SYMBOLSTIX

Symbolstix é o pacote de símbolos da N2Y [https://www.n2y.com/who-we-are/]. No Brasil, encontramos esses símbolos em aplicativos de CAA como o Livox [https://livox.com.br/] e o Sonoflex [https://apps.apple.com/us/app/sono-flex-bp/id562578933]

BLISS

Com início na década de 70, Bliss constitui um dos primeiros pacotes de símbolos usados como apoio à comunicação de pessoas com limitações na fala. Possui uma organização gráfica e semântica. Saiba mais no site: https://www.blissonline.se/

Com certeza, há outros sistemas simbólicos por aí, mas, o mais importante é lembrar que quando organizamos os símbolos para apoiar a comunicação de alguém com dificuldades na área da linguagem e comunicação, devemos manter uma consistência para que os sentidos permanecem estáveis e, consequentemente, favoreçam a comunicação dos usuários de CAA.

Até logo!


quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Quem precisa de Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA)?

Uma das perguntas que mais ouço é "como saber quem deve usar Comunicação Aumentativa e Alternativa?"

Nesse caso, é interessante lembrar que a CAA tem duas faces: compreensão e expressão - duas faces da mesma moeda!

O primeiro A em Comunicação Aumentativa diz respeito ao apoio à compreensão, apoio à linguagem. É aumentativa (de aumentar) porque aumenta a possibilidade de compreensão e fornece auxílios extras para a pessoa com necessidades de comunicação complexas, como é o caso do autismo e outras condições em que a fala é afetada de algum modo.

O segundo A em Comunicação Alternativa diz respeito ao potencial da CAA apoiar a expressão, à possibilidade dos recursos desempenharem o papel de substituir a fala e, por isso, funcionarem como uma alternativa a ela, principalmente, naqueles casos, em que um indivíduo tem alguma limitação na fonoarticulação.



Assim, podemos dizer que qualquer pessoa que experimenta dificuldades tanto na compreensão quanto expressão (ou em ambas as áreas) pode se beneficiar do uso de CAA em alguma medida.

Para saber se um indivíduo é candidato à utilização de Comunicação Alternativa, as seguintes perguntas** podem ajudar:

•Ele/Ela não fala?
•Tem um atraso na fala?
•Tem uma fala incompreensível?
•Tem um vocabulário limitado (de 1 a 20 palavras)?
•Parece surda?
•Usa uma palavra, frase ou sentença uma vez e depois não mais?
•Usa a fala apenas para pedir algo que deseja muito?
•Faz pedidos (ex.: eu quero...) mas não comentários (ex.: "estou com sede", "estou com frio", "o almoço está delicioso")?
•Tem uma fala ecolálica, ou seja, repete palavras e frases que ouve?
•Tem dificuldades em fazer pedidos?
•Tem comportamentos difíceis de serem interpretados?
•Não responde a perguntas?
•Tem dificuldade na memória de curto prazo?
•Tem dificuldade em iniciar interações? Tem dificuldade em interagir com outras pessoas?
•Comunica-se apenas sobre tópicos específicos?
•Fica brava e frustrada por motivos desconhecidos?
•Fica brava e frustrada por motivos conhecidos, mas aparentemente razões que não fazem sentido?

Se a resposta para uma ou algumas dessas perguntas é sim, o indivíduo é um bom candidato ao uso da CAA. 

Um outro material interessante para consultar e usar também é Teste de Efetividade de CAA da Tobii Dynavox. Acesse nesse link: https://www.bit.ly/teste-efetividade-caa .

Tem dúvidas? Receio de que o uso desses apoios irá atrapalhar o desenvolvimento da fala? Medo que a criança/pessoa fique preguiçosa para falar? Pode ficar tranquilo/a, muitos estudos feitos ao longo do tempo, nunca identificaram qualquer risco ao desenvolvimento da fala. Muito pelo contrário, muitos estudos mostram que usuários de CAA podem desenvolver a fala e melhorar muito suas habilidades comunicativas. 

Comunicar é fundamental para desenvolver! Dê uma chance, aposte na CAA.


** Esse critério está descrito por Joanne Cafiero no livro Meaningful Exchanges for People with Autism: An introduction to Augmentative and Alternative Communication (2005, p. 19)

terça-feira, 1 de outubro de 2019

Chegou outubro - o Mês Internacional de Conscientização sobre a Comunicação Aumentativa e Alternativa (CAA)!

Vou me puxar esse mês para compartilhar pílulas de informação sobre o tema.

Muito a ser feito para avançar nesse campo no Brasil, principalmente para chegar às pessoas com necessidades complexas de comunicação.😃
Por hoje, quero trazer uma definição de CAA.

Tenho certeza que há muitas coisas legais acontecendo nesse Brasilzão, então, aproveite você também para compartilhar sobre o que você faz e a importância da CAA para você.


😃

sábado, 18 de maio de 2019

Matriz de Comunicação - Curso em Macaé/RJ

O que é a Matriz de Comunicação?

A Matriz de Comunicação é um modelo de apoio para compreensão e avaliação do processo de desenvolvimento da linguagem em pessoas com necessidades complexas de comunicação bem como planejamento da intervenção.

Objetivos:
  • Compreender a comunicação e o seu desenvolvimento
  • Usar a Matriz de Comunicação como ferramenta de avaliação
  • Definir objetivos para a estimulação 
  • Construir um plano para o desenvolvimento da comunicação e da linguagem


Público-alvo: Profissionais da área da saúde e educação, estudantes de graduação nessas áreas e pais de pessoas com limitações na fala (Autismo, Paralisia Cerebral, Apraxia e síndromes com impactos na área da comunicação).

Data e horário: Sábado, 20 de julho de 2019, de 9h às 18h

Local: Ramada Plaza Macaé – Avenida Agenor Caldas, 249 | Imbetiba, Macaé - RJ

Plano de conteúdos e trabalho:

Introdução à Matriz de Comunicação
- Pesquisa que deu origem ao instrumento
- Estrutura do instrumento: 4 razões para se comunicar, 7 níveis de comunicação e 9 tipos de comportamentos comunicativos
- Público-alvo e aplicações possíveis

A Matriz de Comunicação
- Instrumento em português: revisão de questões (em relação ao instrumento original)
- Aplicação em papel e online
- Uso da ferramenta online
- Opções de visualização, impressão e acompanhamento na ferramenta online

Prática com a Matriz
- Estrutura para coleta de informações
- Formas de coleta: observação e condução da entrevista e registro de informações
- Dúvidas comuns e aspectos a atentar
- Como fazer o perfil manualmente

Interpretação dos resultados, Relatório e Planejamento da Intervenção
- Delineando o perfil de comunicação do sujeito
- Racional para a definição de objetivos de trabalho e intervenção
- Considerações para a intervenção considerando o perfil atual (Deficiência, Tecnologia Assistiva, Comunicação Aumentativa e Alternativa)
- Estrutura e modelo para escrita de relatório
- Modelo para Plano de Intervenção

Estudo de caso

Materiais:
     ·  Matriz de Comunicação versão em português, impressa com errata
     ·  Perfil da Matriz de Comunicação para preenchimento manual
     ·  Modelo de relatório
     ·  Modelo de plano de intervenção

Investimento:




À vista
(boleto ou cartão)
2x sem juros
(cartão)
Profissionais
R$ 190,00
R$ 250,00
Estudantes/Pais
R$ 210,00
Grupos (4 pessoas)
R$ 200,00


                                                                    Faça a sua inscrição aqui

Contato

(22) 999 880 648 (Joéli)
(51) 991 399 399 (Renata)

quinta-feira, 9 de maio de 2019

I love ARASAAC!

💕💕💕

A Comunicação Aumentativa e Alternativa envolve o uso integrado de quatro elementos: símbolos, recursos, técnicas e estratégias.

Hoje quero falar um pouco sobre os símbolos.

Mas, o que é um símbolo?


Um símbolo é qualquer coisa que representa. Os símbolos podem ser concretos ou abstratos

Um símbolo concreto representa o que parece ou se assemelha. Tem o som, textura, cheiro ou gosto daquilo que representa. Uma foto, um pictograma ou um desenho de um livro é um símbolo concreto. 

Sob uma perspectiva sensorial, um símbolo concreto pode ter a aparência, o som, o cheiro, o gosto, o contorno [a sensação/percepção tátil, auditiva, visual, proprioceptiva] daquilo que está representando.

Um símbolo abstrato também representa, mas não se parece nem tem o som, textura, cheiro ou gosto da aquilo que representa. A palavra “livro” escrita ou falada é um símbolo abstrato (porque não se parece em nada com um livro de verdade). Toda palavra escrita ou falada é um símbolo abstrato.

Sob uma perspectiva sensorial, um símbolo não tem a aparência, o som, o cheiro, o gosto, o contorno [a sensação/percepção tátil, auditiva, visual, proprioceptiva] daquilo que está representando, por isso, aprender os símbolos abstratos pode ser mais complexo que aprender os símbolos concreto e implica em um processo de ensino explícito e mediado.


Imagens: Autor pictgramas: Sergio Palao Procedência ARASAAC (http://www.arasaac.org) Licença: CC (BY-NC-SA)
Foto: Shutterstock 194002283_m


Por que se utiliza símbolos na CAA?


Eureca, essa pergunta é essencial! O mais importante sobre os símbolos e sua relação com a CAA é que uma língua e a linguagem se estrutura por meio de símbolos. A imagem pode funcionar como um símbolo.

O símbolo é, na sua forma mais elementar, uma forma de representação.  Assim, a fala, a escrita, alguns sinais, uma imagem, uma miniatura, um desenho, uma foto - todos são representações (ou seja, símbolos) com potencial de apoiar a comunicação e o desenvolvimento da linguagem.  

Quando uma pessoa tem limitações na fala ou quando ela ainda não é letrada, a CAA entra em campo como apoio para a comunicação e o desenvolvimento da linguagem em níveis mais elevados. Quando a pessoa não é alfabetizada, imagens, miniaturas e gestos podem ser utilizados como meios simbólicos para apoiar a comunicação. Quando a pessoa já é alfabetizada, ela pode utilizar a escrita ou até a escrita em combinação com vocalizadores para se comunicar, não necessitando tanto de imagens ou sinais. 

A fala e a escrita são formas de simbolização por excelência, por isso, ainda quando usamos imagens, fazemos em associação ao texto escrito e ao texto falado (nos vocalizadores). As imagens em associação ao texto escrito e falado são muito úteis para apoiar a aprendizagem de leitura e escrita (aliás, o letramento das pessoas usuárias da CAA é um tema quente que precisamos conversar muito a respeito!)

Em suma, sem símbolo, não há linguagem! [Mas, lembre-se, a comunicação é possível mesmo quando não há símbolos ;-)]

Agora, a pergunta que não quer calar quando pensamos na CAA...

Onde conseguir símbolos?


ARASAAC é como chamamos o Portal Aragonês de Símbolos de Comunicação Alternativa. O endereço do site é www.arasaac.org

O ARASAAC teve início com a proposta de desenvolver e disponibilizar símbolos para apoiar o desenvolvimento e utilização da CAA por meio de uma banco de imagens disponibilizados de forma gratuita. O ARASAAC teve início em (ano) e hoje conta com uma base de imagens de mais de (total) símbolos fornecidos gratuitamente

Esses símbolos são utilizados em várias aplicações de CAA e de apoio à aprendizagem que são disponibilizadas gratuitamente (como as aplicações Let me Talk, ABOARD, SCALA, PictoSelector, Picto4me, entre outras, que estão disponíveis em português). 

Hoje, é fácil usar a câmera do celular para fazer fotos ou mesmo, buscar todo o tipo de imagens no Google. Porém, no momento em a iniciativa teve início em 2007, não era bem assim. Fica evidente a grande importância do ARASAAC para a democratização do acesso a símbolos de CAA e a garantia do direito universal à comunicação. 

Essa iniciativa tem contribuído muitíssimo para o desenvolvimento da CAA em todo mundo beneficiando, assim, milhões de pessoas.

Por isso, digo e repito, eu amo o ARASAAC 💕💕. 

Te convido a fazer uma visitinha ao site e também seguí-los nas redes sociais. 

Site

Facebook

Pinterest

You Tube